-->


Home
Brasília, 23 de janeiro de 2009

ANO XIV

Nº 2772

     

Jurídico
Escolha de escritórios é o foco principal da Assembleia

Na Assembleia Nacional da próxima quinta-feira (29/1), os Auditores-Fiscais filiados ao Unafisco terão que tomar decisões importantes acerca de ações jurídicas de interesse da Classe.

A primeira decisão será a escolha do escritório que irá atuar nas ações sobre a Gifa (Gratificação de Incremento da Fiscalização e da Arrecadação). A escolha é imprescindível, uma vez que outras ações judiciais sobre o tema estão na pauta do STF (Supremo Tribunal Federal) e o entendimento dos ministros sobre essas ações terá repercussão nos processos do Unafisco.

A Assembleia realizada em 8 de outubro de 2008 autorizou a DEN (Diretoria Executiva Nacional) a contratar um escritório para patrocinar as ações judiciais referentes à Gifa. Na ocasião, devido ao número de abstenções, a Diretoria se comprometeu a trazer o assunto a uma nova Assembleia. Por isso, submeterá à Classe um indicativo sobre a contratação do escritório Sérgio Bermudes, um dos mais renomados do país.

A Classe também deverá escolher o escritório para as ações do Unafisco que visam a garantir os direitos que foram retirados com a implementação do subsídio. Um dos processos buscará a correção da PCS (Parcela Complementar de Subsídio) nos mesmos índices e nas mesmas datas em que for reajustado o próprio subsídio. A segunda ação pleiteia o direito constitucional dos Auditores-Fiscais ao recebimento de todas as verbas incorporadas aos seus patrimônios jurídicos antes da instituição do subsídio. O reconhecimento do direito à irrevogabilidade da coisa julgada é o objetivo da terceira ação, para que os filiados recebam verbas decorrentes de decisões judiciais já transitadas em julgado. Por fim, o Sindicato também vai pleitear que os Auditores-Fiscais possam receber as verbas laborais, como adicionais noturnos, adicionais de periculosidade/ insalubridade e adicionais por serviço extraordinário (horas-extras), juntamente com o subsídio.

A DEN apresentará três opções de escritórios para patrocinar as ações.

Contribuição Sindical – Na Assembleia, o Unafisco vai buscar também a autorização da Classe para que o Departamento de Assuntos Jurídicos ingresse com uma ação contra a cobrança da contribuição sindical obrigatória.

No entendimento da DEN, essa contribuição é antidemocrática, uma vez que os sindicatos devem manter ou ampliar seus quadros pelo bom trabalho que desempenham, não por uma determinação do Executivo.

O Unafisco tem 98% de filiados na base, graças ao trabalho que vem sendo feito desde a criação do Sindicato. Uma prova contundente de que quando a entidade representa de fato a sua categoria, não é necessária nenhuma imposição, pois a filiação acontece de maneira espontânea.

INÍCIO

Decisão
Saem primeiras homologações do estágio probatório

Em cumprimento à decisão judicial, decorrente da ação ingressada pelo Departamento Jurídico do Unafisco, a COGRH (Coordenação-Geral de Recursos Humanos) iniciou a publicação das portarias que homologam o estágio probatório em 24 meses.

A diretora-adjunta de Defesa Profissional, Renata Lobo Rosseto, tem acompanhado, junto à Cogep (Coordenação-Geral de Gestão de Pessoas), o andamento das ações e informou que nem todas as regiões foram contempladas de pronto em função da demora no envio da documentação pelas unidades.

A DEN (Diretoria Executiva Nacional) publica, na Área Restrita do site, as primeiras listagens dos Auditores-Fiscais beneficiados pela homologação do estágio probatório em 24 meses. À medida que novas portarias forem sendo publicadas, elas também serão disponibilizadas.  

INÍCIO

LOF
Entidades vão consolidar regras para remoção

No início de fevereiro, o Unafisco e a Fenafisp (Federação Nacional dos Auditores-Fiscais da Receita Federal do Brasil) vão discutir um modelo de remoção que contemple os anseios de todos os Auditores-Fiscais.

O Unafisco criou uma comissão em 2007 para discutir o tema. Após a conclusão dos trabalhos, foram elaboradas sugestões de regras para lotação e movimentação que foram incluídas na minuta da LOF (Lei Orgânica do Fisco) do Sindicato, já aprovada pela Classe.

De acordo com a LOF dos Auditores-Fiscais, só poderão ser ofertadas em concurso público, as vagas previamente oferecidas internamente. Além disso, a minuta prevê ajuda de custo para qualquer tipo de remoção.

Outro ponto importante da proposta é a necessidade de anuência do removido para remoção de ofício pela Administração, além da inclusão da remoção incentivada e por tempo determinado para o preenchimento de vagas em unidades de difícil lotação. A minuta também avança por trazer a possibilidade de permuta entre Auditores-Fiscais, sem restrições.

Sobre o concurso de remoção, a LOF da Classe veda a criação de impedimentos à remoção de Auditor classificado na disputa. Também prevê o oferecimento das vagas que surgirem em decorrência do próprio concurso, inclusive as que originariamente não constavam do quantitativo previsto.

O objetivo da reunião com a Fenafisp é acordar um modelo único de remoção para que este seja pleiteado junto à Administração. Do Unafisco, participarão representantes de cada região geográfica. Caso haja alterações à minuta aprovada, essas serão consolidadas, incorporadas à LOF e submetidas novamente à Assembleia.

O Unafisco também cobrou, em audiência com o subsecretário de Gestão Corporativa da RFB (Receita Federal do Brasil), Auditor-Fiscal Odilon Neves Júnior, a criação de um grupo de trabalho para definir regras justas e perenes para o concurso de remoção dos Auditores-Fiscais. O assunto deve ser discutido em reunião entre as entidades sindicais do Fisco e a Cogep (Coordenação-Geral de Gestão de Pessoas), nos próximos dias.

INÍCIO

Administração
Cosit tem novo coordenador

O Auditor-Fiscal Luiz Tadeu Matosinho Machado é o novo titular da Cosit (Coordenação-Geral de Tributação). A mudança no comando da Coordenação foi comunicada através de uma portaria editada pela RFB (Receita Federal do Brasil) na última quarta-feira (21/1).

Matosinho tem uma trajetória ligada à luta pelos direitos dos Auditores-Fiscais. Ocupou a presidência do CDS (Conselho de Delegados Sindicais) nos biênios 1995/1997 e 1997/1999 e foi diretor de Assuntos Jurídicos da DEN (Diretoria Executiva Nacional) em duas gestões, 1999/2001 e 2001/2003. Além disso, disputou a presidência do Sindicato nas eleições de 1997 e 2003.

A DEN parabeniza o colega pela nomeação. Profundo conhecedor dos prejuízos causados pela edição das normas infralegais que vem usurpando o poder decisório do Auditor Fiscal, o novo coordenador poderá agora atuar diretamente para corrigir esses equívocos. Até porque, enquanto diretor da DEN, Matosinho combateu intensamente o Lixo Normativo que se aplica em grande parte à área de tributação.

INÍCIO

Justiça
Trabalho de Auditor resulta na condenação de sonegador

Após quatro anos, o Auditor-Fiscal Sérgio Luís Cândido viu um trabalho iniciado por ele, em 2005, ser concluído pela Justiça, com a condenação de Janir Kuster de Camargo às penas de dois anos e oito meses de reclusão, pela prática do crime contra o sistema financeiro nacional, e cinco anos e cinco meses de reclusão, pelo crime de lavagem de dinheiro, totalizando oito anos e um mês de reclusão, em regime fechado.

Janir Kuster foi flagrado com US$ 95 mil e 100 mil euros em espécie, ocultos em um colete e uma tornozeleira na Alfândega do Aeroporto de Belém (PA). Pelo câmbio da época, a apreensão totalizou R$ 486.158,00. O passageiro foi preso em flagrante pela Polícia Federal.

O jornal O Liberal (PA) publicou a sentença do juiz federal da 4ª Vara do Pará, Wellington Cláudio Pinho de Castro contra Janir Kuster de Camargo, na última quarta-feira (21/1). E revelou um esquema muito maior no qual o condenado estava envolvido. “O juiz Wellington Castro destaca que tanto as provas juntadas aos autos quanto a confissão de Janir comprovam que ele participava efetivamente, desde julho de 2005, do negócio ilícito de troca de moeda estrangeira”, diz a matéria.

INÍCIO

 

DIRETORIA EXECUTIVA NACIONAL

 

 

 

Decisão
Saem primeiras homologações do estágio probatório

LOF
Entidades vão consolidar regras para remoção
Administração
Cosit tem novo coordenador
Justiça
Trabalho de Auditor resulta na condenação de sonegador
   
   

Boletim em
formato word