-->


Home
Brasília, 13 de julho de 2007

ANO XI

Nº 2396

   

Campanha Salarial
Unafisco lança até final do mês caderno de subsídios

Está prestes a sair do forno o caderno com todas as orientações para subsidiar o debate da Campanha Salarial 2007. Seguindo deliberação do Conselho de Delegados Sindicais (CDS), o Departamento de Estudos Técnicos do Unafisco está finalizando a publicação com o detalhamento e as explicações de todos os itens da pauta reivindicatória, aprovada pela categoria na Assembléia Nacional do dia 16 de maio de 2007. A previsão é de que o caderno seja distribuído até o final deste mês.

A exemplo do que aconteceu em 2006, a publicação visa a fornecer os elementos técnicos para embasar o debate político da pauta entre a categoria. Entre os assuntos detalhados, o caderno contém um relato das perdas salariais nos diferentes patamares de remuneração e apresenta a tabela remuneratória, em valores atualizados. Essa tabela, aprovada desde 2004 pelos auditores, resolverá de uma só vez problemas históricos como a quebra da paridade, o fosso salarial e a remuneração atrelada a metas.

Atribuições – O diferencial da publicação que será lançada este ano é que, além de complementar e atualizar as informações do caderno de 2006, explora com mais detalhe um tema que foi incluído este ano pelos auditores como um dos eixos principais da campanha: a manutenção e resgate das atribuições e prerrogativas dos auditores-fiscais da Receita Federal.

A idéia central é mostrar que a luta por um patamar remuneratório compatível com a complexidade e com a importância da carreira de auditor-fiscal está intimamente relacionada com a defesa das atribuições e prerrogativas dos AFRFs. Uma coisa depende da outra.

A aplicação de uma tabela com potencial de corrigir todas as distorções salariais da carreira está respaldada, justamente, no fato de os auditores-fiscais desempenharem funções estratégicas para a manutenção e fortalecimento do Estado brasileiro.

INÍCIO

 

Conaf 2006
DEN edita publicação com palestras do encontro

O Departamento de Estudos Técnicos do Unafisco está concluindo os trabalhos de edição do livro Palestras do Conaf/2006, que será enviado à gráfica na próxima terça-feira. As DSs já receberam um comunicado da DEN, no qual solicita que manifestem o interesse em adquirir a publicação, especificando o número de exemplares, que terá o preço unitário de R$ 4,80, a serem cobertos pela DS solicitante.

Algumas DSs já solicitaram a publicação, que será distribuída para todos os filiados, como as DSs/Curitiba, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre e Campinas. Os pedidos das DSs podem ser enviados por e-mail para a gerente administrativa Raimunda (ray.silva@unafisco.org.br) até as 18h da próxima segunda-feira, dia 16 de julho.

O livro Palestras do Conaf/2006 terá em torno de 230 páginas com o conteúdo de todas as palestras proferidas durante o 10º Congresso Nacional dos Auditores-Fiscais da Receita Federal, realizado em Natal (RN), de 5 a 11 de novembro de 2006. A decisão de editar e publicar as palestras foi da DEN, com o objetivo de ampliar o resultado dos debates para outros auditores que não participaram do encontro.

INÍCIO

 

Psicóloga diz que informação é fundamental para coibir assédio moral

A psicóloga clínica Solange Dantas Ferrari, que participou da audioconferência sobre assédio moral promovida pela DS/Limeira, considera importante o envolvimento das entidades representativas dos trabalhadores na disseminação de informações sobre assédio moral. A psicóloga alerta para a urgência em identificar e coibir o assédio para evitar distúrbios emocionais e físicos que acabam comprometendo a capacidade funcional das pessoas.

Solange Ferrari disse ao Boletim do Unafisco que há uma percepção muito grande de aumento na prática de assédio moral. Ela atribui o fato à falta de informação dos trabalhadores, em diferentes níveis, que, quando se sentem humilhados e perseguidos, não sabem como agir e acabam adoecendo. “Os problemas geralmente são identificados como depressão, ou como enfermidades físicas, por profissionais de saúde que, por falta de conhecimento do assunto, ainda desconhecem a gravidade e a dimensão que problemas causados pelo assédio moral podem ter na vida das pessoas”, comentou Solange.

Para ela, o instrumento mais importante para conscientizar os trabalhadores é o repasse de informações por intermédio da ação das entidades representativas das categorias funcionais. Solange Ferrari citou como exemplo as atividades realizadas pelo Unafisco, como a audioconferência de Limeira, que, ao reunir pessoas de diferentes áreas, permitiu ampliar a visão e o debate do tema. O Unafisco vem promovendo encontros, campanhas e outras ações para aprofundar o entendimento do tema e buscar alternativas para combater o assédio moral contra os auditores.

A psicóloga lembrou que a forma mais comum de assédio é a praticada pelo superior em relação ao funcionário sob sua chefia. “Com ordens absurdas e tratamento humilhante, muitos chefes tentam intimidar, desqualificar e enfraquecer sua vítima. Por isso, é importante que as pessoas aprendam a identificar o assédio para combatê-lo evitando as graves conseqüências que situações desse tipo podem provocar”, concluiu Solange.

INÍCIO

 

Unafisco Saúde
Plano adota Guia de Atendimento instituída pela ANS

O Unafisco Saúde já adaptou seus formulários à Resolução Normativa nº. 153/2007, da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), implantada em 31 de maio de 2007.

  O chamado padrão TISS (Troca de Informações em Saúde Suplementar) estabelece um modelo unificado de guias que norteará o intercâmbio de dados entre operadoras de planos de saúde e prestadores de serviços (clínicas, consultórios, hospitais, etc.).

Por meio desta normativa, novos modelos de guias terão preenchimento padrão pelos credenciados e serão remetidos às operadoras via sistema informatizado. Esse sistema também facilitará a comunicação dos planos com a ANS, que receberá os dados, igualmente, por meio dessa via integrada.

Muito embora o material seja padronizado, cada operadora ficou responsável por enviar suas guias aos prestadores. O Unafisco Saúde já fez a divulgação do modelo-padrão por meio do seu site e também distribuiu o material impresso pelo correio.

Integração – O TISS integrou até o momento os prestadores de serviços classificados nos Grupos 1 e 2, que compreendem hospitais, clínicas, laboratórios, médicos e profissionais de saúde ou pessoas jurídicas que prestam serviços em consultórios médicos. Nesse rol, também estão incluídos os serviços credenciados para atendimentos nas especialidades de Psicologia, Fonoaudiologia e Fisioterapia.

É importante ressaltar que não haverá obrigatoriedade de preenchimento do CID (Código Internacional de Doença) por parte dos médicos e laboratórios. Essa exigência da ANS aplica-se apenas aos estabelecimentos hospitalares, nos casos de internação.

O aspecto positivo de compartilhar essas informações consiste no fato de os credenciados terem a oportunidade de acompanhar a evolução da regulação da saúde suplementar no Brasil. E constatar o posicionamento do Unafisco Saúde perante as exigências do mercado e da legislação.

INÍCIO


DIRETORIA EXECUTIVA NACIONAL

 

Conaf 2006
DEN edita publicação com palestras do encontro

Psicóloga diz que informação é fundamental para coibir assédio moral

Unafisco Saúde
Plano adota Guia de Atendimento instituída pela ANS

   
   

Boletim em
formato word