-->


Home
Brasília, 31 de maio de 2005

ANO IX

Nº 1891

   

Mais pressão por liberação de recursos

O Unafisco Sindical entregou ontem ao presidente da Comissão de Trabalho, de Administração e de Serviço Público da Câmara dos Deputados (CTASP), deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), e aos deputados Sérgio Miranda (PCdoB-MG) e Carlito Merss (PT-SC), correspondências nas quais solicita o apoio dos parlamentares à luta dos AFRFs para aplicação do que está determinado no anexo V da Lei Orçamentária Anual de 2005. Esse anexo prevê a liberação de cerca de R$ 920 milhões para promoção e reajuste dos servidores públicos do Poder Executivo, entre os quais se encontram os que fazem parte da carreira Auditoria e Fiscalização.

A correspondência enviada ao presidente da CTASP lembra ao parlamentar que em 2004 a Comissão intermediou o fim da greve dos AFRFs, acertada após o governo se comprometer a negociar futuramente com a categoria os pleitos não contemplados, em uma Mesa que seria instalada para tal fim. Além da mesa não ter sido oficialmente instalada, nas diversas reuniões com a Administração, não houve avanço em nenhum dos pleitos exigidos: p aridade na Gratificação de Incremento da Fiscalização e da Arrecadação (Gifa) para os aposentados; solução para o fosso salarial; reajuste de 10% sobre o vencimento básico da categoria; incorporação da GAT ao vencimento básico; e o reajuste do valor das diárias e auxílio transporte.

As cartas enviadas aos deputados Sérgio Miranda e Carlito Merss, membros da Comissão Mista de Orçamento, solicitam o apoio dos parlamentares na defesa de um reajuste para a categoria dos AFRFs. Na terça-feira da semana passada, dia 24, a presidente da DEN, Maria Lucia Fattorelli, reuniu-se com o relator da Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2006, deputado Gilmar Machado (PT-MG); na ocasião, tratou-se da previsão orçamentária de até R$ 920 milhões a serem aplicados para promoção e reajuste dos servidores. Nas correspondências, a DEN informa aos parlamentares sobre a luta dos AFRFs na campanha salarial do ano passado, esclarece o motivo da suspensão da greve de 2004 e pede apoio para as reivindicações da categoria, tendo em vista a previsão orçamentária.

No dia 25, o Unafisco já havia formalizado os entendimentos com o deputado Gilmar Machado por meio de carta enviada a ele e também ao deputado federal Tarcísio Zimmermann (PT-RS), que presidia a Comissão do Trabalho na época do acordo que encerrou a nossa greve. No mesmo dia 25, a correspondência foi enviada a o secretário da Receita Federal, Jorge Rachid, ao ministro da Fazenda, Antonio Palocci, e ao secretário de Recursos Humanos do Ministério do Planejamento, Sérgio Mendonça. As cartas enviadas ontem têm o mesmo teor das cartas enviadas no dia 25 e encontram-se na área restrita do site do Unafisco.

INÍCIO

Pendências Financeiras
Sindicato reitera pedido de identificação de rubricas

Na última sexta-feira, a presidente da DEN, Maria Lucia Fattorelli, voltou a solicitar à Coordenação-Geral de Recursos Humanos do Ministério da Fazenda (COGRH) informação sobre a natureza das pendências financeiras pagas a parte da categoria no final do ano passado, quando um projeto de lei liberou R$ 100 milhões para esse fim. Essa identificação já havia sido solicitada em outras oportunidades ao coordenador-geral Celso Sá Pinto. Ele apresentou diversos argumentos para justificar a dificuldade da própria COGRH em proceder a essa identificação, pelo fato de a seleção dos valores a serem regularizados ter se dado no âmbito do MPOG, sem a participação da COGRH.

Para que o Sindicato possa continuar cobrando o que é devido à categoria, é preciso saber a natureza das pendências pagas no final do ano passado. Dos R$ 100 milhões liberados, R$ 23 milhões foram destinados ao pagamento de servidores do Ministério da Fazenda e aproximadamente R$ 15 milhões se referiam às pendências com servidores da SRF, na maior parte com AFRFs.

Já se sabe que não foram pagos, na ocasião, os atrasados dos 3,17%, assim como nem todos receberam os anuênios devidos. Nos contatos anteriores, o Sindicato também questionou sobre os pagamentos do adicional para quem se aposentou com base no artigo 184, II do antigo Estatuto do Servidor, e sobre outras pendências.

Os critérios usados para o pagamento das pendências foram determinados pela Portaria Conjunta SOF/SRH, nº 1, de 03/12/2004, segundo a qual não há prioridade em relação ao objeto da pendência financeira; os processos são organizados em fila única e em ordem crescente de valores médios por beneficiário, até o limite financeiro estipulado pelo governo.

INÍCIO

Unafisco Saúde altera endereços eletrônicos

Os e-mails do Unafisco Saúde mudaram. Para conferir os novos endereços, basta o associado acessar a página www.unafiscosaude.org.br e clicar no link “Fale conosco” na parte superior da tela. Os novos endereços eletrônicos também serão enviados para os associados que têm seu e-mail cadastrado em nossa página na internet. É sempre importante comunicar seu endereço eletrônico ao Unafisco Saúde, pois o cadastro permitirá que você receba mais rapidamente as novidades do plano.

INÍCIO

Quintos e Décimos
TCU retira gratificações de aposentadorias

O colegiado do Tribunal de Contas da União (TCU) aprovou, no último dia 18, acórdão que determina que os servidores públicos que se aposentaram entre 1992 e 2001 não têm direito a receber quintos e décimos, gratificações pagas para quem exerceu cargo de confiança. A decisão atinge servidores dos três poderes que se aposentaram no período. O TCU considerou a incorporação de tais gratificações ilegal para efeito de cálculos das aposentadorias.

A notícia foi divulgada em matéria publicada no jornal Correio Braziliense no dia 19 de maio e informava que a decisão é definitiva e contra ela não cabe recurso. Assim que a presidente da DEN, Maria Lucia Fattorelli, tomou conhecimento da decisão, no dia 19 de maio, solicitou ao Departamento Jurídico do Unafisco uma análise do alcance da referida decisão a fim de verificar seus efeitos sobre os interesses dos AFRFs. A DEN resgatou a íntegra da decisão do TCU, cujo relatório tem 120 páginas. O Departamento Jurídico está concluindo a análise e tão logo ela fique pronta será disponibilizada aos associados, de modo a dirimir dúvidas sobre seus efeitos e medidas administrativas e jurídicas que cabem ao Unafisco tomar.

INÍCIO

Comissão vota projeto que regulamenta previdência complementar dos servidores

A Comissão de Seguridade Social da Câmara dos Deputados vota amanhã o parecer do deputado Geraldo Resende (PPS-MS) ao Projeto de Lei Complementar nº 84, de 2003, de autoria do deputado Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR), que propõe a regulamentação da previdência complementar dos servidores públicos. O PLC 84/03 estabelece que apenas uma entidade fechada de previdência complementar pode ser instituída para a União e para cada um dos entes da federação e que os recursos dessas entidades deverão ser aplicados integralmente em títulos públicos de emissão do governo federal; em caso de depósitos, deverão ser aplicados em instituições financeiras controladas pela União.

O relator do PLC já adiantou que apresentará um parecer contrário à aprovação do projeto. Um dos argumentos apresentados é o de que a Emenda Constitucional nº 41, que instituiu a última Reforma da Previdência, estabeleceu que a regulamentação da previdência complementar dos servidores se dará por lei ordinária e não por lei complementar. Esse também foi um dos argumentos apresentados pelo deputado Luciano Castro (PL-RR) para propor a rejeição do PLC na Comissão do Trabalho.

Durante a tramitação da EC 41, o Unafisco Sindical posicionou-se frontalmente contrário à instituição da previdência complementar para os servidores, pois defendemos a aposentadoria integral com paridade para todos os servidores. Também consideramos que a instituição de fundos de pensão só beneficia o sistema financeiro e não traz garantias para seus segurados. Tal posicionamento foi externado em diversos debates públicos e na cartilha “Reforma da Previdência – que a justiça e a coerência prevaleçam”. Apesar do nosso posicionamento contrário, estamos acompanhando atentamente a tramitação dos projetos que tratam da previdência complementar, já que este é um tema que preocupa e atinge diretamente a nossa categoria.

INÍCIO

Câmara realiza audiência pública para discutir Reforma Sindical

A Comissão do Trabalho da Câmara dos Deputados realiza amanhã, às 10 horas, mais uma audiência pública para debater a Reforma Sindical. Devem falar no evento o presidente do Centro das Indústrias de São Paulo, Cláudio Vaz, e o diretor da Confederação Nacional das Indústrias, Herculano Furlan.

O Unafisco continuará acompanhando a tramitação da Reforma Sindical no Congresso Nacional e buscaremos interferir nas discussões. Esse é um tema que afeta diretamente a nossa organização sindical e, conseqüentemente, a luta pelos direitos da categoria. Não podemos permitir o enfraquecimento dos sindicatos, muito menos a abertura de brechas para que nossos direitos venham a ser suprimidos no futuro.

INÍCIO

Eleições
Mais duas DSs enviam nominatas das chapas

As Delegacias Sindicais de Araçatuba e Santa Maria enviaram as nominatas das chapas que concorrerão às eleições locais do Unafisco para o biênio 2005/2007. Nos dois locais, o pleito contará com chapas únicas. Em Araçatuba, o candidato a presidente na chapa “Unafisco para o AFRF” é o colega Marcos Andreotti. Em Santa Maria, o candidato é o AFRF Alessandro da Silva Reis.

A eleição para as próximas diretorias da DEN e das DSs ocorre nos próximos dias 16 e 17 de junho.

As nominatas seguem anexas.

DIRETORIA EXECUTIVA NACIONAL

 

INÍCIO

- Chapa DS Araçatuba

- Chapa DS Santa Maria

 

Pendências Financeiras
Sindicato reitera pedido de identificação de rubricas

 

Unafisco Saúde altera endereços eletrônicos
Quintos e Décimos
TCU retira gratificações de aposentadorias
Comissão vota projeto que regulamenta previdência complementar dos servidores
Câmara realiza audiência pública para discutir Reforma Sindical
Eleições
Mais duas DSs enviam nominatas das chapas
 

Boletim em
formato word