-->


Home
Brasília, 25 de julho de 2003

ANO VIII

Nº 1435

 

 

Servidores intensificarão atividades de protesto contra a reforma da Previdência

Ontem, cerca de 600 servidores municipais, estaduais e federais participaram durante todo o dia, no auditório Petrônio Portela, no Senado Federal, do "Encontro das três esferas", promovido pela Cnesf, Fenafisco e CUT. Os servidores decidiram intensificar o movimento contra a reforma e organizar ações integradas nos estados e municípios a partir da semana que vem. A grande marcha dos servidores deverá ocorrer no dia 6 de agosto.

A participação dos servidores no evento só não foi maior porque a chefia do serviço de segurança do Congresso distribuiu senhas, limitando o acesso de pessoas no auditório. Mesmo assim, o Petrônio Portela ficou lotado. As diversas entidades representativas dos servidores, entre elas o Unafisco Sindical, falaram sobre a reforma da Previdência e receberam apoio de diversos parlamentares que falaram sobre o descontentamento com a aprovação do relatório da PEC 40 sem um amplo debate com a sociedade. Também falaram os deputados Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), Alice Portugal (PCdoB-BA), Jandira Feghali (PCdoB-RJ), João Pontes (PT-SE), Luciana Genro (PT-RS) e a senadora Heloísa Helena (PT-AL). O senador Paulo Paim (PT-RS) também compareceu para dar apoio aos servidores, mas não se pronunciou.

Depois de aprovado na Comissão Especial de Reforma da Previdência, o relatório da PEC 40 será votado sem as alterações propostas pelos 128 destaques, todos rejeitados na sessão da última quarta-feira. Enquanto isso, continua firme a batalha dos servidores para tentar evitar que a reforma da Previdência enfraqueça o Estado e leve os servidores públicos a perder direitos adquiridos.

INÍCIO

Cnesf e Cnug repudiam truculência da PM e anunciam intensificação do movimento

A Coordenação Nacional de Entidades dos Servidores Públicos (Cnesf) e o Comando Nacional Unificado de Greve (Cnug) aprovaram ontem, durante o "Encontro das três esferas", uma nota de repúdio à violência da Polícia Militar do Distrito Federal contra servidores que tentavam assistir a reunião da Comissão Especial da Reforma da Previdência na última quarta-feira.

Após o episódio, a Cnesf e o Cnug se reuniram para decidir quais propostas seriam encaminhadas para votação na plenária realizada ontem no auditório Petrônio Portela. Participaram da reunião representantes das 11 entidades que formam a Cnesf, e ficou clara a intensificação do movimento desde o dia 8, quando foi iniciada a greve dos servidores públicos contra a reforma da Previdência.

Muitas categorias estão em greve por tempo indeterminado e outras, como a nossa, optaram por paralisações semanais. De acordo com os cálculos da Cnesf, a adesão dos servidores federais à greve aumentou de 60% para 66%, em uma semana. O Unafisco Sindical calcula uma adesão média de 90% da categoria em todo o País; o Andes informou que 55% da categoria está em greve e a Assibge informou que servidores de dez estados estão parados, totalizando 70% da categoria.

O representante do Condsef informou que 24 estados estão em greve, com adesão de 58% da categoria. A Fasubra relatou que 38 instituições estão paradas, com 90% dos servidores paralisados. Os cálculos de outras entidades também são positivos: Fenafisp, 60% da categoria em greve; Fenajufe, 45%; Fenasps, 80%; Sinasefe, 48% de adesão; e CNTSS 80%.

Os servidores deliberaram ainda pela intensificação da presença do funcionalismo público em Brasília nos dias 29, 30 e 31 de julho e irão promover, no dia 30, na Câmara dos Deputados, um seminário sobre a reforma da Previdência.

A marcha dos servidores contra a PEC 40, que estava agendada para a semana de 11 a 15 de agosto, foi marcada para o dia 6 de agosto e, no dia seguinte, haverá outro encontro envolvendo os servidores das três esferas, para a avaliação das atividades integradas entre as diversas categorias.

A nota de repúdio da Cnesf e do Cnug encontra-se anexa.

INÍCIO

AFRFs de Recife lançam manifesto a administradores

É inaceitável a postura omissa e silenciosa dos AFRFs e TRFs que ocupam cargos de chefia neste momento, quando se está definindo o futuro de milhões de trabalhadores brasileiros, tomando-se como base uma proposta que retira direitos. É o que pensam os colegas de Recife (PE), que aprovaram na assembléia de ontem um manifesto direcionado a todos os AFRFs que ocupam cargos de chefia no âmbito da SRF.

"Faz-se imperioso mostrar de que lado estão", exclamam os colegas, exigindo dos chefes um posicionamento claro e explícito contra a reforma da Previdência, uma vez que também são auditores e técnicos e serão igualmente prejudicados caso a PEC 40 seja aprovada.

O manifesto da DS/Recife encontra-se anexo.

INÍCIO

AFRFs gaúchos aprovam continuidade do movimento e mantêm mobilização

Os AFRFs de Porto Alegre (RS), juntamente com os técnicos da Receita Federal, decidiram na tarde de ontem, em assembléia conjunta, manter a paralisação contra a reforma da Previdência. Por unanimidade, os servidores aprovaram a continuidade da paralisação semanal por 72 horas.

Indignados com a aprovação sem discussão do relatório da reforma, os servidores da Receita Federal no Rio Grande do Sul decidiram também manter o alto nível de mobilização da categoria no Estado. Na manhã de ontem, os auditores-fiscais e técnicos da Receita Federal participaram da vigília diante do Instituto de Previdência do Estado (IPE), quando cerca de 300 servidores ligados à CUT-RS, Assufrgs, Sintrajufe, Sindjers, Sindjus, Sindserf, Sindisprev, Assibge, Andes e Cpers cercaram o prédio do Instituto. A manifestação objetivou demonstrar as graves conseqüências que a reforma terá junto ao IPE.

A Brigada Militar agrediu vários servidores que haviam bloqueado os acessos para o interior do prédio, impedindo o ingresso dos funcionários do IPE, que aderiram à manifestação. A ação truculenta da BM gerou indignação nos servidores, que voltaram a se concentrar na frente do Instituto e finalizaram a atividade com um ato público.

Ao final da tarde de ontem, AFRFs e TRFs estiveram novamente no Aeroporto Salgado Filho para recepcionar os parlamentares que voltavam de Brasília.

INÍCIO

Servidores viram "saco de pancadas" das tropas de choque da PM

A tropa de choque da Polícia Militar de Santa Catarina investiu, na tarde de ontem, em Itajaí (SC), contra os integrantes do Fórum de Defesa da Previdência Pública e Solidária, que se manifestavam na entrada do estaleiro onde o presidente Lula participava do "batismo" de um navio. Os servidores foram encurralados pelos policiais e alguns colegas foram jogados ao chão e agredidos.

Os AFRFs e TRFs de Florianópolis (SC) participaram do ato em Itajaí, tendo saído em caravana, junto com servidores de outras categorias. "É inadmissível esse tipo de atitude das polícias estaduais", declarou o presidente da DS/Florianópolis-Itajaí, Carlos André Nogueira.

INÍCIO

Servidores fecham a Ponte da Amizade por uma hora

A Ponte Internacional da Amizade, na fronteira do Brasil com o Paraguai, teve ontem o trânsito interrompido por uma hora por conta da manifestação de protesto contra a reforma e em defesa da Previdência, organizada pela DS/Foz do Iguaçu, juntamente com outras entidades representativas de servidores públicos. Também participaram do ato, além dos AFRFs, os TRFs, policiais da PRF e da PF, trabalhadores da Justiça Federal e do trabalho, servidores municipais, policia civil e servidores do INSS.

INÍCIO

AFRFs de Ribeirão Preto participam de ações integradas

Ontem, o Unafisco e demais entidades do Comitê dos Servidores Públicos de Ribeirão Preto (SP) contra a Reforma da Previdência participaram de um programa de televisão (TV Tathi) ao vivo, com perguntas do público, no qual foi debatida a reforma. As informações dadas pelo ministro Palocci, em entrevista coletiva do dia anterior, foram rebatidas pelo Unafisco com base nos materiais enviados pela DEN.

A DS/Ribeirão do Rio Preto elaborou, juntamente com outras categorias que integram o Comitê dos Servidores Públicos de Ribeirão Preto, um panfleto que explica para a população quem se beneficia com a reforma proposta pelo governo federal.

Na tarde da quarta-feira passada, os AFRFs participaram do ato público realizado em frente à Câmara de Vereadores de Ribeirão Preto. O evento objetivava "recepcionar" o ministro da Fazenda, Antônio Palocci, que compareceria ali para abonar a filiação ao PT do atual prefeito de Ribeirão Preto, Gilberto Maggioni.

Para fugir da concentração de servidores, o ministro acabou entrando pelas portas do fundo da Câmara Municipal. Os manifestantes conseguiram ocupar as galerias e mostrar sua indignação com a PEC 40. O Unafisco entregou a todos os presentes uma cópia da carta de intenções enviada ao FMI pelo ministro Palocci.

O panfleto elaborado pelo Comitê dos Servidores Públicos de Ribeirão Preto encontra-se anexo.

INÍCIO

DS/Ceará repudia a atitude da DRF de Aracaju

Os AFRFs da DS/Ceará aprovaram na assembléia de ontem uma moção de repúdio ao que consideram um ato arbitrário e lamentável da delegada da Receita Federal de Aracaju (SE), a AFRF Lúcia Rosa Silva Santos, que cortou o ponto dos colegas daquela unidade que aderiram à mobilização e paralisaram suas atividades. Na mesma ocasião, os AFRFs cearenses também declararam sua solidariedade aos colegas prejudicados pela ação coatora da DRF.

As moções de repúdio à DRF de Aracaju e de solidariedade aos que foram atingidos pelo corte de ponto encontram-se anexas.

 

INÍCIO

 

DIRETORIA NACIONAL

 

Moção Repúdio Solidariedade - DS-Ceara

Manifesto DS-Recife

Comunicado Imprensa CNESF

Panfleto

 

 

Cnesf e Cnug repudiam truculência da PM e anunciam intensificação do movimento

AFRFs de Recife lançam manifesto a administradores
AFRFs gaúchos aprovam continuidade do movimento e mantêm mobilização
Servidores viram "saco de pancadas" das tropas de choque da PM
Servidores fecham a Ponte da Amizade por uma hora
AFRFs de Ribeirão Preto participam de ações integradas
DS/Ceará repudia a atitude da DRF de Aracaju
 

Boletim em
formato word